Satisfazer as necessidades do cliente vai além de ter um colaborador com conhecimento técnico sobre um determinado produto ou serviço. O relacionamento possui um peso muito grande nesse ponto e os profissionais precisam de orientação, ferramentas e capacitação para se sair bem no desempenho da função.


O carisma e a satisfação faz com que o atendente consiga realizar o seu trabalho com excelência. Identificar-se com o universo em que atua e estudar o que os consumidores estão esperando são itens fundamentais para ser um bom profissional.


A boa vontade ajuda, mas não é o único ponto que precisa ser pensado. Os profissionais com deficiência no atendimento, assim como quaisquer outros, precisam receber uma capacitação adequada que ensine como deve ser o relacionamento com o cliente e lhes permita conhecer melhor o produto.


Existe um padrão de qualidade exigido por cada empresa e esse só consegue ser seguido quando se sabe na teoria e na prática o que fazer para encantar. Por isso, a motivação e o sorriso no rosto devem estar sempre presentes para transmitir uma imagem certa.


A questão é como adequar esse trabalhador em uma função que esteja adequada às suas habilidades para que ele tenha um rendimento máximo.


Saiba incluir profissionais com deficiência na área de atendimento


Existe ainda uma grande dúvida se profissionais com deficiência podem atuar com atendimento. É preciso avaliar o tipo de deficiência para incluir o colaborador em um setor que lhe dê condições para exercer a sua tarefa.


Um deficiente auditivo, apesar da restrição de audição, pode trabalhar com atendimento, e talvez seja necessário realizar pequenos ajustes para que este consiga se comunicar com o cliente.


Entenda um pouco como escolher melhor e de que forma é possível incluir profissionais com deficiência no atendimento.


Deficientes auditivos


Devido à perda ou audição reduzida, muitas vezes fica difícil compreender em uma conversa presencial o que a outra pessoa está dizendo. Por conta disso, é preciso encontrar uma maneira de se comunicar com todos sem que a audição seja necessária.


Esses profissionais podem trabalhar com o atendimento virtual, por exemplo, com chats, WhatsApp e e-mails. Nesse caso, o canal de comunicação seria o escrito e não haveria nenhum impedimento de ambas as partes para compreenderem a mensagem.


Deficientes visuais


A  perda da visão não impede que ocorra a comunicação, principal fator para que se possa atuar no relacionamento com o cliente. Nesse caso, é possível atuar, por exemplo, com telemarketing.


Para isso, a empresa deve estar preparada e ter softwares nos computadores capazes de converter textos em áudio e permitir que o colaborador tenha acesso às informações.


Os comandos são enviados por voz, sendo necessário que haja uma adaptação dos sistemas para que a pessoa realize o seu trabalho visando manter o padrão de atendimento adotado pela empresa.


Deficientes intelectuais


Atualmente, já vemos esses profissionais com deficiência no atendimento, em diversos estabelecimentos ajudando a empacotar as compras, arrumando prateleiras, organizando filas e sanando dúvidas básicas dos consumidores.


Em alguns casos, eles precisam apenas de um supervisor que possa orientar sobre os procedimentos básicos e corrigi-los quando for necessário para que consigam atender as expectativas.


Quando são oferecidas as devidas condições de trabalho, os profissionais com deficiência podem atuar tanto na linha de frente quando nos bastidores. Por parte das empresas, é importante que se faça uma parceria com a área de saúde médica-ocupacional para levantar possibilidades e preservar a saúde e qualidade de vida dos funcionários.


A inclusão de profissionais com deficiência na área de atendimento traz situações imprevistas, como atendentes de call center que digitam com a boca, surdos atendendo em caixas de estabelecimentos comerciais utilizando placas com frases. 


Incluir é uma ação consciente, que começa com o reconhecimento dos rótulos que nos fazem julgar equivocadamente a capacidade dos profissionais, evitando preconceito e discriminação. A disponibilidade e o interesse em buscar informações são atitudes que concretizam a inclusão.


Você é um dos profissionais com deficiência e está em busca de novas oportunidades? Veja algumas das vagas abertas no site da Talento Incluir.