Existem assuntos que comentados na sociedade causam constrangimento ou discriminação, um deles é falar sobre deficiência, isso porque boa parte das pessoas ainda não têm conhecimento sobre o que exatamente ela significa.

Para a Organização Mundial da Saúde (OMS), é a perda total ou parcial de uma das funcionalidades do corpo. Isso quer dizer que apenas parte do corpo, seja estrutural ou sensorial não funciona como deveria, mas apenas isso.

A pessoa não se torna ineficiente e nem incapaz de realizar as atividades cotidianas, assim como os seus sentimentos não dependem da sua condição.

Quando se observa a história, é possível perceber que a discriminação contra pessoas com deficiência é bastante antiga.  Antigamente era comum matar crianças que nasciam com algum tipo de deficiência, pois elas eram consideradas monstros. Em muitos casos, havia leis que determinavam que os próprios pais matassem os filhos que não se enquadravam em um padrão ou que a pessoa com deficiência fosse expulsa da cidade e vivesse isolada dos demais.

Atualmente, as leis mudaram e há maior conhecimento sobre o assunto; sabe-se, por exemplo, que deficiência pode ser o resultado de uma alteração na formação do embrião durante a gestação ou a consequência de alguma lesão  ao longo da vida.

O avanço da medicina e da tecnologia tem contribuído para que as pessoas possam cada vez mais ter sua autonomia. É preciso ter claro que elas podem ter uma rotina como qualquer outra pessoa, trabalhando, estudando, formando uma família e o que mais desejar.

Falar sobre deficiência precisa ser natural


Com as transformações e mais acesso à informação, falar sobre deficiência precisa fazer parte do cotidiano para deixar de ser um tabu que de alguma forma exclui um grupo de pessoas.

Muitas vezes, as pessoas com deficiência (PCD) ainda carregam esse estigma errado de que são incapazes e precisam se esconder da sociedade. Esse passado precisa ser esquecido e a forma de mudar essa situação é mostrando a deficiência como algo natural.

Existe um esforço para tentar acabar com essa discriminação e a melhor forma de fazer isso seria tratar as pessoas como iguais. Quando falamos em pessoas iguais, nos referimos a todos em relação à sua capacidade e produtividade, entretanto, todos somos únicos, com nossas próprias vontades e necessidades.

Pode parecer confuso em um primeiro momento, mas considere que cada pessoa tem um tipo físico, uma religião, raça, forma de pensar, pode ter uma deficiência ou não e muitos outros atributos que fazem com que ela se diferencie das demais.

Ser diferente ainda é visto como algum não tão bom ou bonito. Para praticar a inclusão não devemos levar em consideração gosto pessoal e opiniões, é preciso tratar todas as pessoas com respeito, este é o caminho que levará naturalmente a inclusão da diversidade.

Quando se começa a entender que cada um é único, fica mais fácil falar sobre deficiência, pois entende-se que essa é uma condição que a pessoa possui e isso não resume ou demonstra seu potencial.

Dentro do ambiente de trabalho, começa-se a falar sobre deficiência de forma a esclarecer o assunto e garantir que todos os profissionais, independentemente das suas individualidades, possam trabalhar em conjunto.

Existem programas de inclusão que visam quebrar barreiras e quanto mais se debate o assunto e estimula-se o convívio entre diferentes grupos, mais as empresas conseguem atingir o objetivo de ter um ambiente de trabalho agradável e produtivo.

As escolas também já não trabalham tanto com o termo “educação especial” para ensinar  crianças com deficiências. Há classes em que alunos com deficiência física, intelectuais e alunos sem nenhuma perda de sua função do corpo convivem de maneira natural.

Quanto mais se falar sobre deficiência e permitir que as pessoas sejam realmente incluídas na sociedade, menos haverá discriminação ou necessidade de cotas para que elas ingressem no mercado de trabalho, consigam frequentar lugares acessíveis e não sofram preconceito.

Não se deve ter medo de falar sobre deficiência e nem de lidar com ela, afinal. Quanto mais debatido o tema, mais teremos uma sociedade inclusiva.

Quer conhecer um lugar em que falar sobre deficiência é natural? Acesse o blog da talento Incluir.