Nesta semana, a Talento Incluir promoveu a segunda edição do Encontro de Diversidade e Inclusão, que reuniu especialistas da área de recursos humanos na sede da IBM, em São Paulo (SP).

Na ocasião, Tabata Contri, da equipe Talento Incluir, destacou a importância em reforçar a atuação da empresa junto às corporações. “Mais que falar de igualdade é preciso falar de equidade, porque isso vai promover a inclusão.”

Na abertura do evento, a líder de RH da IBM Brasil, Christiane Berlinck, fez questão de reforçar o trabalho da empresa no que se refere a incluir seus colaboradores. “A IBM se orgulha muito de suas práticas de inclusão e preza pelo respeito das individualidades de cada um de seus profissionais.”

O encontro contou ainda com apresentações da diretora da Talento Incluir, Carolina Ignarra, e de Fernanda Lima, que também integra a equipe, e que na ocasião abordou a inteligência cultural. “São muitas as formas de inteligência. No caso da a inteligência cultural, por exemplo, podemos destacar a capacidade das pessoas para se adaptarem em culturas diferentes”, explica Fernanda.

Ainda sobre inteligência cultural, ela descreveu como a diversidade está aliada à está forma de inteligência, para que novas soluções sejam criadas.

De acordo com Fernanda, a inteligência cultural engloba quatro competências: disposição, para compreender o contexto do que é diferente; conhecer o contexto acerca do que não se tem familiaridade; estratégia para entender; e ação para colocar tudo isso em prática.

O encontro teve ainda a participação especial da escritora Vânia Ferrari, que palestrou sobre respeito às diversidades. No intervalos, atores da Inima Produções apresentaram esquetes engraçadas e inteligentes de conscientização sobre inclusão de pessoas com deficiência.

 

Responsabilidade social

Na ocasião, a responsável pela área de diversidade e inclusão da IBM para América Latina, Adriana Ferreira, fez questão de ressaltar que a responsabilidade social da corporação vai muito além da lei de cotas.

“A IBM lida com isso há mais de 100 anos, tendo contratado sua primeira funcionária com deficiência, em 1914, nos Estados Unidos”, ressalta a profissional.

Adriana também aproveitou o que encontro para apresentar o grupo de BRGs da corporação, formado por quatro áreas: deficiência; mulher; afro; e LGBT, que atual em conjunto para criar soluções e promover a inclusão.

Segundo o líder da BRG voltada à inclusão de profissionais com deficiência, Roberto Santejo, o grande desafio é poder colaborar mais com a empresa e com a sociedade, em prol da inclusão. “Atuamos promovendo programas que tem como proposta fazer com que as pessoas entendam como é ter uma deficiência, ser LGBT, mulher ou afrodescendente, por exemplo, para entender melhor todo o processo e suas necessidades”, conclui.