Uma empresa inclusiva está em constante movimento para garantir uma cultura organizacional que permita acolher a profissionais com deficiência. Ela também deve buscar por uma conscientização de todos os trabalhadores a fim de garantir a harmonia no trabalho em equipe e a equidade entre os seus membros.

Para conseguir chegar ao patamar de ser considerada uma empresa inclusiva, é preciso que alguns pontos sejam trabalhados. Conheça alguns deles.

Colaboradores com deficiência ocupando todas as posições


Não se deve segregar a contratação de profissionais com deficiência, alocando-os apenas em determinadas tarefas. Todas as oportunidades devem ser abertas a qualquer pessoa, e isso permite os cargos possam ser preenchidos de acordo com a qualificação dos candidatos.

Não importa se é um cargo operacional ou de alta gestão, se o profissional com deficiência for a pessoa mais capacitada para o cargo, ela deve ocupá-lo. Dessa forma, a empresa ganha em competitividade.

Pessoas comprometidas com a empresa inclusiva


Só se consegue garantir que a empresa seja inclusiva desde que todos estejam conscientizados, sejam eles gestores ou parceiros de trabalho. Deve haver um esforço contínuo para que todos compreendam a importância da inclusão para a empresa e para sociedade.

Ao fazer isso, é possível garantir que o assunto seja tratado com naturalidade e não ocorra nenhum tipo de discriminação.

Estratégia de comunicação


Se a comunicação não é eficiente, começam a ocorrer falhas e isso pode impactar nos processos. Ela deve chegar a todos e para isso é preciso conhecer as necessidades dos colaboradores.

Para que a comunicação ajude no desenvolvimento da cultura inclusiva, ela deve ser feita de diferentes maneiras, visando atender a todos os tipos de deficiência. Isso deve acontecer não apenas internamente, mas para todos os públicos com os quais a empresa se relaciona, tais como fornecedores, parceiros e clientes.

Estudo de acessibilidade


Um dos grandes entraves para que uma empresa se torne inclusiva é a infraestrutura, que nem sempre é adequada. Fazer um estudo de acessibilidade com uma consultoria especializada ajudará a entender se existem pontos falhos e como esses podem ser melhorados.

Vale ressaltar que quando se fala em acessibilidade não se pensa apenas nos colaboradores internos, mas em qualquer pessoa que possa visitar a organização, incluindo toda a comunidade.

Metas de inclusão


A inclusão na empresa ocorre de forma contínua e esse processo não deve ser deixado de lado em nenhum momento. Para isso, é indicado que no planejamento sejam estipuladas metas de diferentes pontos sobre o assunto.

Os indicadores poderão apontar a evolução no sentido de uma empresa inclusiva e quais são os pontos que ainda precisam ser aperfeiçoados. Essa é uma maneira de mensurar o trabalho que está sendo feito, sua efetividade e pensar em ações que agreguem melhorias.

Processo seletivo acessível


Os candidatos precisam entender que não existem barreiras dento da empresa por conta de sua deficiência e isso já precisa estar claro desde o processo seletivo. O recrutamento deve garantir que todos possam participar de forma igualitária do processo sem que encontrem barreiras.

Quando aprovado, o profissional deve saber que não está sendo admitido apenas por conta de cotas; deve estar claro que ele foi selecionado por suas competências. Para isso, é necessário que os profissionais de RH estejam altamente capacitados para lidar com a diversidade.

Capacitação de colaboradores


Nem sempre é possível encontrar profissionais preparados no mercado de trabalho e cabe à empresa  oferecer capacitação que supra essa necessidade. Nesse processo, ela deve incluir profissionais com ou sem deficiência para que todos tenham oportunidades iguais.

A capacitação ou formação dos colaboradores deve ser contínua, permitindo que eles se prepararem para obter ascensão profissional e, no futuro, ocupem cargos estratégicos.

Diversidade como estratégia de negócio


Quando se entende a importância de ter uma empresa inclusiva, percebe-se que isso não se limita apenas à cultura interna, mas ao mundo dos negócios. Ter visões e opiniões diferentes permite entender um pouco melhor sobre o mercado e suas necessidades.

As contribuições obtidas com os mais diferentes públicos podem criar estratégias para que a empresa ganhe espaço no mercado e consiga se diferenciar perante os concorrentes.

As ações do cotidiano, quando pensadas para trabalhar a diversidade, garantem uma empresa inclusiva. Trabalhar alguns pontos com atenção e incluí-los no planejamento garante que se tenha sucesso em todas as ações.

Quer saber mais sobre o assunto? Veja as dicas de como desenvolver um programa de inclusão.