A legislação brasileira nem sempre agrada as empresas e o empresário, pois existem regras que aparentemente são onerosas e nem sempre se compreende o seu real motivo. Por isso, quando se fala em fazer um projeto de inclusão para cumprir com a Lei de Cotas para pessoas com deficiência (PcD), esse, muitas vezes, acaba sendo rejeitado.

Ainda existe o mito segundo o qual a inclusão nas empresas só precisa acontecer para não se pagar multa, por isso não deve haver um investimento além do que o mínimo necessário.

Entretanto, isso é um grande equívoco. Nem sempre o que será empregado serão recursos financeiros e apostar em um projeto de inclusão pode trazer ganhos que inicialmente não são imaginados.

Razões para apostar no projeto de inclusão

A Lei de Cotas é, sim, uma exigência legal que deve ser cumprida. Porém, o mais importante é mensurar quais os benefícios que ela traz quando deixa de ser encarada como uma exigência e passa a ser vista como um ganho para os negócios.

Para aproveitar todos os frutos de ter colaboradores com deficiência na empresa é preciso ter um bom projeto de inclusão. Conheça as razões para criar um e implantá-lo da forma correta.

Investimento na acessibilidade da empresa para atender melhor todos os públicos

Para que se possa cumprir com a Lei de Cotas e receber os colaboradores com deficiência, é preciso que haja estrutura para isso. Não basta ter uma rampa de acesso e achar que está tudo certo; a acessibilidade vai muito além da estrutura física.

Muitas vezes é preciso contar com a tecnologia para tornar o ambiente de trabalho mais adequado e outros recursos que nem se imagina. Uma das etapas do projeto de inclusão é fazer uma avaliação do que se tem e o que falta.

O levantamento pode ser feito por uma consultoria especializada que apontará exatamente quais são os pontos fortes e o que precisa ser ajustado.

O grande ganho neste ponto é que a acessibilidade vai não só adequar a empresa para receber os novos colaboradores como também vai ampliar e melhorar o acesso de parceiros de negócios e clientes – tenha em mente que nestes dois grupos tão importantes para a sua empresa também há pessoas com algum tipo de deficiência.

Aprimoramento do processo seletivo e, portanto, atrair mais talentos

O processo seletivo deve garantir que se encontre o melhor candidato para a vaga com base nas suas qualificações, habilidades e conhecimento. O problema é que algumas empresas não entendem que as pessoas com deficiência também se enquadram nesses critérios e os contrataram apenas para ocupar posições inferiores.

Outra questão é que o processo não pode ser discriminatório e todos os candidatos devem ter chances iguais ao concorrer. Como garantir isso se a empresa e os profissionais responsáveis pela contratação não estão preparados?

Com a ajuda de uma empresa especializada, é possível melhorar o processo de recrutamento de trabalhadores com deficiência. Ela também pode ajudar a preparar os colaboradores responsáveis pelo recrutamento e seleção, e também os gestores, a escolherem os melhores candidatos de acordo com a vaga.

Em resumo, o aperfeiçoamento do processo seletivo vai contribuir para identificar os melhores candidatos para as vagas ofertadas, garantindo assim que a empresa contrate os melhores talentos à disposição no mercado.

Melhora no clima organizacional e na conscientização dos colaboradores

O projeto de inclusão é necessário para que os colaboradores possam ser conscientizados que existem diferenças, mas que essas não afetam o convívio e o desempenho no trabalho. Eles devem estar cientes que ninguém deverá ser privilegiado e que se relacionar com pessoas diferentes é um aprendizado e o desenvolvimento para ambos os lados.

Para isso, o projeto deve incluir ações como palestras, workshops, troca de experiências e outras para que as demais ações possam ter sucesso após serem implementadas.

Fortalecimento da cultura empresarial

A mudança da cultura empresarial nesse caso converge para a realidade que se vive na sociedade e que cada vez mais se espera de organizações socialmente responsáveis. É preciso garantir que a inclusão ocorra e que se torne um hábito, não uma obrigação.

Quando essa mudança começa a acontecer, significa que o projeto de inclusão está atingindo os seus objetivos e que o ambiente de trabalho se tornará mais agradável. Os colaboradores passam a respeitar a empresa e consequentemente se esforçam para trabalhar em prol dela.

O projeto de inclusão é só o começo para que uma empresa possa receber colaboradores com deficiência. 

Sabendo da importância do projeto de inclusão, a sua empresa não vai deixar de adotá-lo. Para ter uma ajuda especializada em todas as etapas, entre em contato com a Talento Incluir.