As pessoas guardam memórias de acordo com o que já vivenciaram e aprenderam, assim formam uma percepção. Isso pode resultar em um pré-conceito sobre determinados grupos e também do que se conhece por tipos de viés inconsciente.

Para que você possa entender melhor: o cérebro se baseia no que já nos aconteceu e cria um estereótipo para determinada situação ou pessoa e, sem que percebamos, acabamos discriminando sem nem mesmo conhecer o próximo. Quando se trata de pessoas com deficiência, existem alguns tipos de viés inconsciente que ficam evidentes, muitas vezes por falta de conhecimento sobre o assunto.

Tipos de viés inconsciente

Apesar do viés inconsciente ser um mecanismo de defesa do cérebro, isso não significa que não possa ser mudado. A pessoa pode trabalhá-lo para quebrar as barreiras do preconceito e acabar com estereótipos que não condizem com a realidade.

Para isso, é preciso entender quais são os tipos de viés inconsciente.

Viés de afinidade

A afinidade está relacionada a se identificar com outras pessoas parecidas com si próprio. Por exemplo, um gestor tende a acreditar que um membro da equipe que tem as mesmas características que ele (ser branco, ter faculdade, mesma religião, morar em uma determinada região entre outros) desenvolverá melhor o seu trabalho.

O gestor, quando for selecionar alguém para a sua equipe, buscará o máximo de afinidades possíveis, e por conta disso pode negligenciar os conhecimentos e capacidades de outros candidatos.

Viés de percepção

Um dos outros tipos de viés inconsciente é o de percepção. Ele é baseado em estereótipos que são influenciados pela sociedade e cultura, sem ter embasamento em fatos. Um exemplo é quando as pessoas com deficiência são vistas como incapazes que precisam de ajuda o tempo todo para fazerem as suas atividades.

Quando uma pessoa com deficiência é contratada por uma empresa que não trabalha com a diversidade e inclusão, esse viés inconsciente virá à tona. Gestores e pares de trabalho acreditarão que o profissional não conseguirá realizar as suas atividades e precisará de alguém o auxiliando o tempo todo. Nesse momento, surge o preconceito de que a contratação só ocorreu para que a Lei de Cotas fosse cumprida.

Viés confirmatório

O viés confirmatório faz com que a pessoa deixe dados de lado e só dê importância às informações em que acredita, mesmo que essas sejam inexistentes. Ocorre quando alguém está tentando mostrar algo, mas, não importa o que seja dito ou provado, o outro se recusa a aceitar.

Um exemplo desse tipo de viés é quando um colaborador com deficiência é melhor avaliado que seu colega de trabalho. O mérito da questão pode estar evidenciado por números de vendas, horas trabalhadas, desempenho elevado e outros. Apesar de todas as comprovações, quem teve a avaliação inferior tenderá a acreditar que isso só aconteceu por se tratar de uma pessoas com deficiência, não conseguirá ver o mérito do profissional e buscará meios de justificar o que acredita, mesmo a crença sendo infundada.

Efeito de halo/auréola

Um dos tipos de viés inconsciente que age ao contrário dos apresentados anteriormente é o halo. Ele faz com que se tenha uma visão positiva sobre algo antes mesmo de se ter uma experiência. Ele pode ser excelente no acolhimento de novos trabalhadores em uma empresa, principalmente quando existe preconceito com certos grupos.

Se a organização trabalhou com o tema diversidade e inclusão antes de contratar pessoas com deficiência, todos os membros estarão ansiosos em receber os novos colegas, pois sabem que eles podem contribuir com o grupo. Entretanto, esse conceito pode estar tão enraizado que, se um profissional com deficiência não desenvolver bem a sua tarefa, os gestores e equipe terão dificuldade em perceber isso, demorando para fazer a orientação, o que pode prejudicar os resultados.

Efeito de grupo

O efeito de grupo cria uma pressão para que todos sigam a mesma tendência, fazendo com que a opinião da minoria muitas vezes seja repreendida e transformada para seguir os demais.

Por exemplo, um cadeirante consegue entender os ajustes necessários na infraestrutura e até mesmo na comunicação para melhorar o ambiente de trabalho para outros profissionais com a mesma deficiência. Entretanto, ao tentar apresentar as suas ideias, os colegas reforçam tanto que a diretoria não dará atenção, que ele está mexendo com assunto que não deve, que isso não dará em nada, que acaba sendo convencido disso.

Todos os tipos de viés inconsciente apresentam as suas características, entretanto, todos eles podem ser trabalhados. Conhecendo cada um deles, é possível realizar um trabalho para acabar com esse preconceito e estar mais aberto a conhecer uma nova perspectiva sobre um assunto pouco explorado pela pessoa.

Quer saber mais sobre viés inconsciente, diversidade e inclusão? Acompanhe o site da Talento Incluir e fique por dentro desses assuntos.